+ Notícias

  • Crédito: Divulgação/FIVB

    A jogadora búlgara, Zhana Todorova, estará na elite da VNL 2019 com sua seleção.

Prazer, Zhana Todorova!

A jovem líbero búlgara está ansiosa pela estreia da sua seleção na elite da VNL
Por: Redação e assessoria FIVB - 18/02/2019 11:45:39

A jogadora búlgara, Zhana Todorova, uma das estrelas em ascensão no mundo do vôlei feminino, já está ansiosa pela estreia de sua equipe na Liga das Nações de Voleibol da FIVB 2019. A Bulgária conquistou o direito de disputar a elite da VNL 2019 com a grande vitória na fase final da segunda divisão, disputada no Peru, onde Todorova foi eleita a melhor defensora do torneio.

As leoas dos Balcãs perderam apenas um set no caminho para o ouro em Lima e Zhana Todorova teve muito a ver com o resultado.

“Éramos um novo time de jovens jogadoras, todas muito motivadas para nos provar”, comentou Todorova. “Com todas as viagens, nos sentimos exaustas no Peru, mas com muita vontade, moral elevado e bom trabalho em equipe, nós perseveramos. A qualificação para a elite da VNL foi nosso grande objetivo. Agora nosso grande objetivo deve ser permanecer na elite, porque a VNL é onde nós pertencemos. Somos uma das quatro equipes que podem ser rebaixadas e isso é bastante motivador”.

Zhana Todorova foi eleita a melhor Libero das competições da FIVB duas vezes - no U23 de 2017 e o Campeonato Mundial de Sub-20 de 2015. Em 2018, aos 21 anos de idade, ela fez sua aparição no Campeonato Mundial Feminino e conseguiu impressionar novamente.

Até mesmo Giovanni Guidetti, técnico da Turquia e campeão mundial de clubes pelo VakifBank Istambul, elogiou-a como "uma das melhores que viu no Japão".

Mas a libero búlgara prefere ficar com os dois pés firmemente no chão. "Estou lisonjeada. Prêmios e elogios como esses me fazem perceber que todos os sacrifícios valeram a pena. Também sei que tenho muito a aprender e tenho que crescer como jogadora. Seria ótimo receber um prêmio de melhor libero no nível sênior, mas isso não é uma fixação. Os treinadores me dizem que os liberos atingem o pico aos 27-28 anos, então tenho tempo. É muito mais importante ganhar medalhas com a equipe”.

“Nos meus sonhos, vejo a Bulgária chegando ao final six da VNL, mas temos que caminhar passo a passo”, continuou ela. "As equipes que vamos enfrentar são de nível muito alto e temos que jogar sem pressão, ganhar experiência valiosa e autoconfiança e manter a fé em nossa seleção".

A Bulgária fará sua primeira aparição na elite da VNL, em casa, diante de seus fãs, e irá receber Bélgica, Japão e EUA no primeiro final de semana da edição deste ano, entre os dias 21 e 23 de maio. “Jogar em frente à nossa torcida e sentir as pessoas próximas a mim me motivam muito e às vezes até me fazem exceder minhas próprias habilidades”, admitiu Todorova.

Até então, ela está focada em completar mais uma boa temporada de sucesso com o Maritza Plovdiv. A equipe de sua cidade natal, onde passou toda a sua carreira até momento, já está em uma série de 67 vitórias na liga nacional desde novembro de 2015 e está a caminho do quinto título consecutivo. O Maritza está no meio da terceira participação consecutiva na Liga dos Campeões da Europa. Desde o ano passado, Todorova teve a sorte de jogar com o mesmo técnico em Maritza e na seleção.

“Com Ivan Petkov, me sinto mais responsável pelo meu desempenho na seleção do que antes. Ele me ajudou muito no meu desenvolvimento e eu não quero decepcioná-lo. Ele é muito exigente, mas também sabe quando estou tendo dificuldades, assim como sinto quando ele está tendo um momento ruim”, ressaltou.

Hoje a líbero tem 1,70 m de altura, mas Zhana tinha apenas 1,40 m de altura quando foi para a quadra de vôlei aos 13 anos de idade. Os treinadores do Maritza estavam perto de mandá-la embora, mas deram a ela a chance de mostrar seu talento com a bola. Ela está com o clube desde então.

"Juntamente com as muitas outras razões para ficar aqui, gosto do fato de que o clube segue seu plano de longo prazo, passo a passo, e todos no clube são tão profissionais", comentou Todorova. “Transferir para outro clube é certamente possível, mas a oferta certa tem que vir primeiro".

Solicitada a escolher as seis jogadoras com quem gostaria de jogar no time dos seus sonhos, Todorova escolheu Maja Ognjenovic pelo seu carisma para inspirar os seus companheiros de equipe, Jordan Larson, por ser uma jogadora tão complexa e inteligente, bem como por Zhu Ting, Tijana Boskovic, Milena Rasic e Foluke Akinradewo. Ela acrescentou que a líbero que ela admira é Monica De Gennaro.

Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade